Monday, March 30, 2009

da pat:

na novela da noite a que eu assisto (e que o meu homem tão bem resume nos sustos que me prega pela casa quando grita, “mas maya, ele é um daalit!”), não existe nenhuma personagem muito parecida com a jussara. mas existe uma coisa maior lá, uma coisa que também nos une, eu acho, a mim e à jussara, que é uma vontade grande de estar sempre a cozinhar e a dançar. por “cozinhar” quero dizer preparar comida e também comê-la, e por “dançar” quero dizer escolher roupa colorida e bonita. são nestas coisas que penso quando penso na jussara, no gozo dela – e no meu, ao vê-la – a escolher receitas e a prepará-las (se tudo correr bem, para nós) e a dançar, linda e alta, a abrir a pista (não aconteceu muitas vezes irmos dançar juntas, na verdade, mas pelos vistos as poucas que fomos marcaram-me).

não me lembro muito bem como a jussara entrou na minha vida, só sei que entrou pela porta da frente, através de outros amigos. eu sou um bocado preta nestas coisas, os amigos dos meus amigos já são logo meus amigos também, então eu já gostava dela antes de gostar mesmo. por isso foi muita bom, e continua a ser, ver que há tanta coisa para gostar dela depois de gostar. a última coisa que descobri na jussara foi a sua capacidade de inventariar. na verdade foi ela que descobriu e partilhou – que a sua vontade de fazer pesquisas era também uma forma de organizar o mundo. e eu fiquei logo deliciada com esta ideia, primeiro porque confundi “inventário” com “relicário” e já estava a juntar a jussara com a cássia eller e a imaginar um brutal presente de aniversário e depois, já com o significado certo, percebi como era verdade e se aplicava a ela e a tornava tão especial: a jussara é a grandeza do pormenor.

e para este texto não ficar muito mariquinhas, e porque eu sou arraçada de iemanjá com ic19, mas mais para irritar a jussara que, não sei como, ainda não reconheceu a sabedoria que existe em QUALQUER letra de xutos&pontapés deixo aqui o meu presente antecipado:


porque contigo, jussara maria, é assim que eu sou: sendo uma, não me sinto sozinha.

3 comentários:

Ana Rute Cavaco March 30, 2009 at 3:18 PM  

e tu consegues elogiar da forma mais lamechas que eu já vi. recuso-me a ler estas coisas sem um lenço ao pé.
bjs.

fili March 31, 2009 at 1:28 AM  

é linda e poderosa a tati patati.

pandora March 31, 2009 at 2:50 AM  

a pat é cozinha de fusão (iemanjá com ic19) da melhor qualidade. Três estrelas michelin para ela e já!

  © Blogger template 'Isolation' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP